Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Memorial da Shoah em Paris

Muro com os nomes dos judeus deportados da França para os campos de concentração nazis

Espaço em memória das vítimas do Holocausto em Paris quer sensibilizar as novas gerações para a perseguição e extermínio dos judeus da Europa durante a Segunda Guerra.

O Memorial do Mártir Judeu Desconhecido e o Centro de Documentação Judaica Contemporânea (CDJC) criaram o Memorial da Shoah, inaugurado em Janeiro de 2005, no bairro histórico de Marais, em Paris. A ideia do projecto é "multiplicar as iniciativas de sensibilização dentro de um difícil contexto nacional e internacional".

Documentação do Holocausto
O histórico do memorial revela a importância do novo espaço de reflexão sobre a Shoah, em França. Foi em Abril de 1943, três anos após a invasão da França pelos alemães, que Isaac Schneersohn reuniu em Grenoble 40 representantes da comunidade judaica, para criar um centro que começasse a reunir provas da perseguição nazi, a fim de se poder exigir justiça após o término da guerra.
Cinco meses depois, o CDJC teve que interromper suas actividades perante a crescente pressão nazi. Os seus fundadores passaram a actuar conjuntamente com a Resistência Francesa. Durante os combates pela libertação da França, Schneersohn e o seu grupo conseguiram manter em Paris os importantes arquivos do regime de Vichy e da ocupação nazi, como os da embaixada da Alemanha na capital francesa, do Estado-Maior, da Delegação-Geral do governo de Vichy e sobretudo grande parte da documentação do serviço anti-judaico da Gestapo.
Provas para Nuremberga e contra Barbie
Após o fim da guerra, o Centro organizou os seus arquivos e começou a divulgar dados sobre o Holocausto através de uma editora própria e da primeira revista sobre a Shoah, Le Monde Juif (O Mundo Judeu), antecessora da Revue d'histoire de la Shoah (Revista da História da Shoah).
Fundamental também foi o papel do CDJC durante o processo de Nuremberga. Com base nos seus arquivos, os juristas conseguiram reconstruir a participação de diversos responsáveis e cúmplices da solução final na Alemanha, na França e em Israel. Durante a década de 80, o CDJC forneceu à Justiça francesa um documento que viabilizou a acusação de Klaus Barbie, chefe da Gestapo em Lyon, por crime contra a humanidade.

Consciencialização das novas gerações
Em 1956 foi inaugurado um espaço em memória às vítimas da Shoah, o Memorial do Mártir Judeu Desconhecido, concebido pelo CDJC seis anos antes e construído num terreno doado pela prefeitura de Paris. Foi ali que o CDJC se instalou, gerindo um espaço duplo de pesquisa e memória com a iniciativa prioritária de sensibilizar as crianças e jovens para a história do extermínio dos judeus na Europa. Foi sobretudo esta meta pedagógica que levou ambas as instituições a planear, em 1997, a sua fusão no Memorial da Shoah.
O Memorial, que abriu as suas portas exactamente 60 anos após a libertação de Auschwitz, inclui uma exposição permanente sobre a Shoah e o destino dos judeus na França e na Europa durante a Segunda Guerra, além de auditório, espaço para exposições temporárias e eventos educacionais, livraria, centro de documentação, espaço multimédia e salas de leitura.

Rosette Klajman aponta o nome de sua mãe, Micha, gravado no Muro dos Nomes, no Memorial da Shoah

A cripta do Memorial é um lugar de recolhimento em memória das vítimas de Auschwitz e do gueto de Varsóvia. Com o Muro dos Nomes, presta-se homenagem individual a todos os judeus deportados da França. O Memorial da Shoah situa-se num local simbólico, o bairro de Marais, onde a comunidade judaica parisiense – ali instalada há nove séculos – desenvolveu o comércio e o artesanato, acolheu os refugiados dos primeiros pogroms no Leste Europeu e foi em grande parte deportada para os campos de concentração nazis, de onde poucos retornaram.


Mémorial de la Shoah
17, rue Geoffroy-l'Asnier - 75004 Paris - France
Téléph.: 01 42 77 44 72 -
de l'étranger: 0033 1 42 77 44 72
Fax: 01 53 01 17 44 - de l'étranger: 0033 1 53 01 17 44
e-mail: contact@memorialdelashoah.org
site web: www.memorialdelashoah.fr
publicado por MJ às 01:00
link do post | comentar
1 comentário:
De Kiki Anahory Garin a 10 de Abril de 2007 às 11:59
Olá

Excelente este texto. Desconhecia isto.

Mais uma vez os meus parabéns por este blog com informações muito interessantes sobre o Holocausto.

Um beijo
Kiki


Comentar post

Coordenação

MJ
Lisboa, Portugal

Perfil Completo

Contacto

europae65@gmail.com

Links

Tags

todas as tags

Posts Recentes

A Vida dos Livros por Gui...

Os Justos das Nações

Para Saul Friedländer, o ...

Enciclopédia do Holocaust...

Diabólica alquimia totali...

I conferência sobre o Hol...

Friedländer homenageado n...

A Vanguarda do Horror

«Shoah» de Claude Lanzman...

Uma obra dedicada à juven...

A banalização do Mal ou q...

Aristides de Sousa Mendes...

Ensinar o Holocausto aos ...

Somos todos Judeus

Os «Protocolos dos Sábios...

Charlotte Salomon

Um oficial do Exército al...

Holocausto: uma obsessão ...

"Memória do Holocausto". ...

Yad Vashem distinguido na...

Arquivo do Blog

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

blogs SAPO

Subscrever feeds