Domingo, 27 de Maio de 2007

David Irving expulso da feira do livro de Varsóvia

David Irving, o controverso autor britânico, conhecido por ter negado a existência do Holocausto, foi expulso da Feira Internacional do Livro de Varsóvia, onde se tinha deslocado a convite da editora Focal Point.
"Propagar o anti-semitismo e desculpar Hitler são ofensas na Polónia", disse Dorota Koman, uma das organizadoras do evento.
"Na Polónia não há liberdade de expressão", disse o autor ao sair da feira.
Nos últimos anos, onze livros do historiador foram traduzidos para o polaco, mas não é muito conhecido no país.
publicado por MJ às 23:05
link do post | comentar
6 comentários:
De MJ a 19 de Julho de 2007 às 14:08
1 - Tudo existe na guerra, mas políticas de extermínio, de ódio racial, só ocasionalmente, e nisso os nazis foram mestres... tanto na ideologia como na prática...

2 – Exacto. Até foi com essa tecnologia que a Alemanha «ganhou» a guerra, não foi?

3 - Não é suposto que quem não tem respeito pela vida humana o venha a ter com os mortos, como demonstra a sua miserável resposta.

4 – Claro, continue a sonhar já que tudo indica que a realidade lhe passa constantemente ao lado.


De Weisswurst a 19 de Julho de 2007 às 12:08
1 - Campos de concentração, muros e arame farpado, há em todas as guerras, como por exemplo, na Palestina.

2 - Se uma potência tecnológica como era a Alemanha dos anos 40, quisesse exterminar os judeus, não há dúvidas que o teria conseguido.

3 - Quanto ao divertimento com a miséria humana, não sou eu que ando a revolver valas comuns, à procura de cadáveres, ossadas e fardas de prisioneiros com a estrela de David.

4 - Compreendo que não queiram discutir estas questões, simplesmente, porque quando o mito cair, cairá também a farsa de Israel.


De MJ a 13 de Julho de 2007 às 13:35
Palas nos olhos para quem tão afincadamente defende o comandante de um campo de concentração que violava diariamente as mais elementares condições inerentes à dignidade humana. Um monstro executor de um regime que durante mais de uma década torturou e executou os seus opositores. Isso não lhe merece nenhum palavra ou as suas preocupações só contemplam torcionários nazis?

Não tenho dogmas, não apoio ou defendo totalitarismos (consegue dizer o mesmo?) nem restrições à liberdade de ninguém (incluindo a sua!). Por mim, os revisisonistas podem expressar-se livremente. Só não me podem obrigar a patrociná-los. Se quiser discutir procure um forum. Aqui, estamos num blog onde a política editorial é definida por mim. Actualmente existem imensas ferramentas editoriais que lhe permitem expressar-se livremente. Faça-o à vontade, arranje o seu público, que será abundantemente constuído por nostálgicos do III Reich e até por 1 ou 2 anti-semitas de extrema-esquerda. Como já é vosso apanágio, continuem a divirtir-se com as misérias humanas praticadas por criminosos travestidos de políticos. Continuem a esconder a prática persecutória contra um povo inteiro. Continuem a arranjar bodes expiatórios, mas não aqui onde a vossa crebibilidade está a zero.


De Weisswurst a 13 de Julho de 2007 às 12:51
Palas nos olhos?
Então comprem lá o livro de um tal de Rupert Butler e vejam como o Sargento Bernard Clarke se gaba de ter torurado o comandante de Auschwitz!

Nesta blogosfera, sou tão(ou menos) anónimo que V.Exas. No entanto, compreendo perfeitamente que não lhe interessa a discussão do assunto, porque para vocês, o já gasto tema do holocausto, não passa de um dogma. E os dogmas não se discutem, protegem-se até à exaustão. Depois os revisionistas é que usam "palas nos olhos"?

Eu, como revisionista, estou completamente à vontade para discutir este assunto. A questão é a vossa coragem em abrir o tema à discussão. Fica aqui o desafio...


De MJ a 13 de Julho de 2007 às 10:50
O caro anónimo que se inspirou numa lata de salsinhas alemãs para escolher o pseudónimo também pode criar um blogue para discutir as suas dúvidas, existenciais e outras, ou pedir no partideco nacional que manifestamente apoia para utilizarem os tempos de antena para negar o Holocausto e fazer a apologia do III Reich. Aqui a agenda é outra e não contemplamos sugestões menores. E quando falar de «confissões sobre tortura» veja se retira a pala dos olhos e percebe que realmente se passou na Alemanha (e na Europa ocupada) de 33 a 45. Não sei porquê mas acho que já estou a pedir de mais.


De Weisswurst a 13 de Julho de 2007 às 03:53
Este blog é muito bonito e tal... Mas até agora ainda não vi rebaterem NENHUMA das questões levantadas pelo revisionistas. Apenas papagueam os eternos dogmas sobre o assunto.
Como sempre, os judeus aparecem aqui pintados como os únicos sofredores da guerra.
Porque não falam das "câmaras de gás de Dachau? Da reconstrução das "câmaras de gás" de Auschwitz? Da confissão de Rudolf Hoss obtida sob tortura? Da esferográfica de Anne Frank? Do motor diesel usado em "gaseamentos" em Treblinka? Do sabão judeu? Dos objectos em pele de judeu? Do extermínio por corrente eléctrica?


Comentar post

Coordenação

MJ
Lisboa, Portugal

Perfil Completo

Contacto

europae65@gmail.com

Links

Tags

todas as tags

Posts Recentes

A Vida dos Livros por Gui...

Os Justos das Nações

Para Saul Friedländer, o ...

Enciclopédia do Holocaust...

Diabólica alquimia totali...

I conferência sobre o Hol...

Friedländer homenageado n...

A Vanguarda do Horror

«Shoah» de Claude Lanzman...

Uma obra dedicada à juven...

A banalização do Mal ou q...

Aristides de Sousa Mendes...

Ensinar o Holocausto aos ...

Somos todos Judeus

Os «Protocolos dos Sábios...

Charlotte Salomon

Um oficial do Exército al...

Holocausto: uma obsessão ...

"Memória do Holocausto". ...

Yad Vashem distinguido na...

Arquivo do Blog

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

blogs SAPO

Subscrever feeds