Segunda-feira, 9 de Abril de 2007

Holocausto ou Shoah

Ao assassínio sistemático dos judeus europeus, perpetrado pelo nazis durante a Segunda Guerra mundial (1939-1945), foi atribuído o nome de Holocausto ou Shoah. A maior parte das vítimas proveio da Europa oriental, especialmente da Polónia e da União Soviética. Muitos judeus da Europa ocidental também pereceram nas câmaras de gás dos campos de extermínio nazis, localizados na Polónia. Nem todos os judeus foram mortos nas câmaras de gás; muitos morreram vítimas de doença, fome e exaustão devido ao trabalho escravo. Não há precisão em relação ao número das vítimas. Estimativas científicas apontam para um número entre cinco e sete milhões; a figura dos seis milhões é a mais comum. O Nacional Socialismo chamava eufemisticamente à matança de judeus Endlösung der Judenfrage (A Solução Final ou A Questão Judaica). Os judeus não eram vítimas civis ocasionais do regime hitleriano; eram um alvo específico que os nazis pretendiam exterminar. Winston Churchill, Primeiro-ministro britânico durante a Segunda Guerra mundial, qualificou o assassinato dos judeus como a crime whitout a name («um crime sem nome»). O uso dos termos Holocausto e Shoah tornou-se vulgar após a guerra. Actualmente, a palavra Holocausto é a mais usada. Utilizada amiúde nos anos 50, o seu uso aumentou regularmente. A palavra provém do palavra grega holokauston e aparece nas Bíblias medievais com o significado «queimado em sacrifício de deus». A palavra Holocausto serviu para designar «uma imensa destruição de vidas» ou «um fogo exterminador». Outras vezes foi utilizada em referência ao massacre dos cristãos arménios do início do século XX ou ao grande tremor de terra e destruição de S. Francisco (1906). Nas últimas décadas do século XX o termo Holocausto adquiriu outros significados. Muitos escritores usaram a palavra não só para referir o assassinato em massa de judeus – praticados pelos Einsatzgruppen nos campos de concentração e de extermínio – mas para definir toda a política nacional-socialista de perseguição aos judeus e a outras minorias, durante o período de 1933-1945. Outros genocídios também foram referidos por Holocausto como, por exemplo, o ocorrido contra os Tutsis, no Ruanda, em 1994.
Como o significado original da palavra Holocausto é «oferta sacrificial» existem objecções ao seu uso. A morte dos judeus não foi uma oferta. Por isso, em Israel e em círculos judaicos fora de Israel, as pessoas optam por falar em Shoah. Derivada do hebraico esta palavra significa «aniquilação» e foi usada durante a guerra para referir a (aniquilação) extermínio do povo judaico pelos nazis na Polónia.
publicado por MJ às 12:38
link do post | comentar

Coordenação

MJ
Lisboa, Portugal

Perfil Completo

Contacto

europae65@gmail.com

Links

Tags

todas as tags

Posts Recentes

A Vida dos Livros por Gui...

Os Justos das Nações

Para Saul Friedländer, o ...

Enciclopédia do Holocaust...

Diabólica alquimia totali...

I conferência sobre o Hol...

Friedländer homenageado n...

A Vanguarda do Horror

«Shoah» de Claude Lanzman...

Uma obra dedicada à juven...

A banalização do Mal ou q...

Aristides de Sousa Mendes...

Ensinar o Holocausto aos ...

Somos todos Judeus

Os «Protocolos dos Sábios...

Charlotte Salomon

Um oficial do Exército al...

Holocausto: uma obsessão ...

"Memória do Holocausto". ...

Yad Vashem distinguido na...

Arquivo do Blog

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

blogs SAPO

Subscrever feeds